R. Inácio Monteiro, 6900 - Conj. Hab. Sítio Conceição, São Paulo - SP, 08490-000
CLIQUE NO ESPAÇO PARA A PROGRAMAÇÃO
 
PROGRAMAÇÃO CENTRO DE FORMAÇÃO CULTURAL CIDADE TIRADENTES
 
Formação de identidades: representatividade,
racismo e responsabilidade social
com ALEXANDRA BALDEH LORAS - França/Gâmbia
15h
PALESTRA
HALL DO TEATRO
DIA 4
ALEXANDRA BALDEH LORAS

Filha de pai gambiano, Alexandra Loras é Consulesa da França em São Paulo e usa sua visibilidade para discutir racismo e questões sociais e de gênero. Por meio do apoio a artistas independentes, palestras em escolas públicas e eventos culturais, Loras propõe uma discussão sobre a ‘normalidade branca’ e seus impactos na sociedade, como falta de representatividade, educação eurocentrada e violência contra a população negra na formação da identidade. Recebeu a Medalha Theodosina Ribeiro, que reconhece trabalhos significativos na luta das mulheres pela igualdade de gênero e cor.

*Distribuição de ingressos 1 hora antes do início do evento, até a lotação do espaço.
**Todas atividades são gratuitas
Descolonizando mentes:
Educação antirracista e pedagogias transgressivas
com NANA SEFA TWENEBOAH I. - Gana

Com mais de 35 anos de atuação, George Sefa Dei é um dos intelectuais mais respeitados da África. Com obra pautada na educação descolonizada e antirracista, busca compreender os efeitos da formação da identidade em um cenário pós-colonial e o impacto gerado por uma educação imposta com métodos imperialistas. Além de reconhecido pesquisador das influências do gênero, classe social e etnia no ensino, no aprendizado e na administração do sistema educacional nos países africanos, George é também chefe local tradicional da cultura Ashante, em Gana, onde é conhecido como Nana Sefa Tweneboah I.

NANA SEFA TWENEBOAH I.
19h
PALESTRA
AUDITÓRIO
DIA 7
NANA SEFA TWENEBOAH I.
*Vagas limitadas - Inscrições no CFC Cidade Tiradentes. Informações: (11) 3343 8900
DIA 8
SALA DE OFICINAS
OFICINA
Afro-brasilidade feminina em mosaicos
15h
SURAMA CAGGIANO

A artista plástica nasceu em Pindobaçu, na Bahia, e ainda jovem se deslocou para São Paulo, onde vive hoje. Ao revisitar sua herança e ancestralidade, criou a série Mulheres Africanas, desenvolvendo a técnica do mosaico contemporâneo, substituindo as pastilhas tradicionais por materiais reciclados, como CDs, jornais e revistas. Com esculturas em tamanho natural, suas obras representam a força, atuação social e cultural de mulheres das Áfricas. Em suas oficinas, revisitando o estilo e a série, constrói com os participantes experiências sobre o empoderamento e identidade das mulheres afro-brasileiras.

**Atividade para maiores de 16 anos
DURAÇÃO: 3 Dias (8, 9 e 10)
com SURAMA CAGGIANO - São Paulo/Pindobaçu - BA
DIA 9
19h
AUDITÓRIO
SHOW
Show OUTRAS ÁFRICAS

Nara Couto nasceu em Salvador, precisamente no Curuzu, bairro com a maior concentração de negros do Brasil. A influência da cultura africana e a ligação com os blocos afro e o tradicional Balé Folclórico da Bahia, em que atua desde 1999, são elementos fundamentais na sua formação como cantora. Com o show “Outras Áfricas”, reúne no palco os saberes colhidos em uma trajetória como cantora, coreógrafa e bailarina focada na cultura afro-brasileira. Estruturado a partir do jazz, o trabalho ganha uma pitada soteropolitana numa interpretação ímpar da conexão entre África e Bahia na contemporaneidade.

NARA COUTO
com NARA COUTO - Salvador
Espetáculo de teatro {ENTRE}

Consagrado por trazer ao palco grandes artistas e temáticas de importância para a população negra, o grupo teatral Coletivo Negro apresenta a peça {ENTRE}, espetáculo fruto de “investigações cênico-poéticas-raciais”, que procura trazer ao palco a poesia do termo “comum”, o carregando de outras significações. Acompanhada de trilha sonora ao vivo e fortemente inspirada na obra musical de Itamar Assumpção e no documentário Edifício Master, de Eduardo Coutinho, a peça celebra o homem em seu espaço, suas relações sociais, suas lutas e toda poética deste cotidiano, mesmo nas condições mais hostis.

COLETIVO NEGRO
20h
TEATRO
AUDITÓRIO
DIA 11
com Grupo COLETIVO NEGRO - São Paulo
Mulheres que grafitam muros e transformam mentes
com CRIOLA - Belo Horizonte
10h
GRAFFITI
3º ANDAR
DIA 13, 14 e 15
CRIOLA

Nascida em Belo Horizonte, Criola usa o grafite para inspirar mulheres negras. Orgulhosa de sua ancestralidade, a jovem mineira revela, com o colorido em paredes e em muros de concreto, a diversidade cultural brasileira. Seu spray colore as ruas de BH com o índio, o negro, a religião e as lendas urbanas, que acompanhado por um incansável ativismo, transgride um pensamento social conservador, calçado no racismo e machismo para atingir a emancipação da mulher negra de uma vez por todas.

Mídias e ferramentas sociais digitais
para empoderamento negro
com MONIQUE EVELLE - Salvador

A comunicadora e empreendedora baiana Monique Evelle é responsável pela criação da ‘Ubuntu’, espaço de troca de conteúdo e experiências sobre a história da cultura afro-brasileira e primeira rede social de aprendizagem colaborativa do Brasil. Expressão da língua Zulu, “Ubuntu” significa ‘Eu sou porque nós somos”, filosofia seguida a risca pela por ela, que enxerga a união como chave para a promoção de debates e de novas políticas sociorraciais. Ativista, talentosa e dinâmica, Monique está na lista das “30 mulheres com menos de 30 anos para ficar de olho″, feita pela Revista Cláudia e Portal M de Mulher da Editora Abril.

MONIQUE EVELLE
16h30
PALESTRA
HALL DO TEATRO
DIA 17